top of page
  • Braga & Garbelotti

STF decide a partir de quando incide contribuição previdenciária sobre terço de férias

Nos últimos anos, muitas empresas vêm discutindo a possibilidade de excluir algumas verbas pagas aos seus empregados  da apuração das contribuições sociais devidas à Previdência Social. O impacto sempre foi significativo.


Uma das principais controvérsias se deu acerca da incidência das aludidas contribuições sobre o terço adicional pago ao trabalhador pela fruição do período de férias. Por muitos anos, prevaleceu a posição do STJ em favor dos contribuintes, até que o STF reconheceu a repercussão geral sobre a matéria (Tema 985/STF).


O cerne da discussão foi julgado somente em 31/08/2020, quando os Ministros fixaram a tese de que “é legítima a incidência de contribuição social sobre o valor satisfeito a título de terço constitucional de férias”, surpreendendo a todos. Porém, mais importante que o resultado do julgamento era saber a partir de quando essa incidência seria devida.


Então, no último dia 12 de junho, o STF decidiu modular os efeitos desta decisão para produzir efeitos a partir da data de publicação da ata do julgamento de mérito, definindo que a exigência das contribuições sobre o terço de férias é obrigatória desde 15 de setembro de 2020, resguardando aos contribuintes que discutiam o tema no Judiciário o direito de recuperar valores indevidamente pagos até esta data.


Vale destacar que, para as empresas que não vinham recolhendo as contribuições sobre estas verbas com autorização judicial, o recolhimento a partir da data em questão poderá ser regularizado sem multa, apenas com a atualização monetária, dentro de 30 dias contados da revogação da decisão que as havia beneficiado.


A BraGa está pronta para esclarecer dúvidas de todos com agilidade e excelência


Thiago Garbelotti

Lucas Zapater Bertoni

362 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Opmerkingen


bottom of page